Foi utilizado o Santa Gertrudis porque é a raça bi-mestiça mais antiga do mundo, sendo formada com sangue 5/8 e 3/8 das raças Shorthorn e Brahman em sua composição genética.

Ao utilizar esse reprodutor sobre as matrizes F1 Angus e/ou britânicas, produzirá animais uniformes, de muita consistência genética, com 56% de sangue europeu, e excelente metabolismo para confinamento e recria.

Portanto, o touro Santa Gertrudis é recomendado para cobrir a vacada meio-sangue britânica em fazendas que trabalham com sistema semi-intensivo e intensivo nas regiões Centro e Norte do Brasil.