Pergunta:

Minha propriedade é em Rondônia, faço o ciclo completo, vendendo somente animais gordos para o abate. Costumo inseminar nas minhas fêmeas F1 com Braford, repassando-as com touros Nelore. Devo aproveitar as filhas do Braford e Nelore como matrizes futuras? Quais benefícios tenho em cada tipo racial (Tricross Braford e ¾ nelore)? Ivaldo Neves de Almeida – Coxim (MS).

Resposta:

Ivaldo, a opção de inseminar suas fêmeas F1 com Braford é muito boa, pois dessa forma você gera vigor híbrido (heterose), produzindo animais com boa carcaça e ganho em peso. Esses produtos tricross devem ser desmamados e receber suplementação alimentar para que consigam expressar todo seu potencial de ganho. Esses animais se encaixam em alguns protocolos de carne de qualidade por apresentarem 56% de sangue taurino.

Sugerimos não aproveitar a fêmea tricross como matriz, pois como tem mais sangue de raças europeias pode sofrer com o calor de RO.

Bezerros tricross Braford x F1 Angus. Ótimo ganho em peso e carcaça

O uso de touros Nelore nas fêmeas F1 adultas como repasse da IATF é também ótima opção. Lembre-se apenas de escolher touros Nelore que produzam bezerros leves ao nascimento caso esteja pensando em repassar com eles suas novilhas F1 precoces, pois distocias são comum quando se usa Zebu em novilhas precoces F1.

Essas novilhas ¾ Nelore são excepcionais matrizes, pois são adaptadas, têm ótima habilidade materna e, ao mesmo tempo, são mais precoces que as zebuínas.

Quanto ao bois ¾ Nelore, esses apresentam ótimo ganho em peso, pois são adaptados e têm bom apetite para forrageiras no calor, rendendo muito bem no gancho como todo Nelore. No entanto, não receberão prêmio extra em programas de carne de qualidade.

Bezerros ¾ Nelore. Boa carcaça e adaptabilidade extrema ao calor

Nesta imagem vemos bezerros de três grupamentos raciais no mesmo lote: da esquerda para a direita: tricross Braford, ½ Angus e ¾ Nelore