No último dia 22 de outubro, o zootecnista Alexandre Zadra participou ao vivo do programa Giro do Boi para conceder entrevista sobre cruzamento para gado de corte. Segundo Zadra, mais do que escolher a raça que mais combina com sua matriz para gerar uma progênie mais produtiva a partir do choque de sangue, a escolha do indivíduo, do touro específico, é mais importante. “Não adianta uma raça que não tem um indivíduo bom”, destacou.

“Busque principalmente pela orientação de touros. O que nós fazemos é orientar quanto aos touros. Com o tanto de DEPs que os touros têm, a gente tem que moldar o animal atendendo objetivo de cada criador. É isso, não tem muito o que falar. A diferença entre indivíduos é muito maior que entre raças. Não adianta uma raça que não tem um indivíduo bom. Bem feijão com arroz”, contextualizou.

Depois de responder diversas perguntas sobre variadas raças e possibilidades de cruzamentos, o zootecnista frisou uma dica a respeito do aproveitamento da “Rainha da Pecuária” dentro das fazendas. “O que eu quero deixar de dica: tire pelo menos uma cria da F1 Angus. Essa que eu chamo de “Rainha da Pecuária” e o Ricardo Abreu (gerente de fomento da ABCZ) chama de “Majestade”. Mas tire uma cria desse novilha F1 Angus sempre. Essa é a grande dica. Faça o tricross”, aconselhou.

Zadra também comentou a busca expressiva por informações a respeito do uso do Senepol no Brasil. “Por que o Senepol vem crescendo como uso de touro, etc? É uma raça que é basicamente um Angus do trópico. Eu costumo dizer que ele é um biotipo britânico. Você tem um animal que é sem pelo, cobre bem no pasto. Assim como o Angus, ele vai muito bem na vaca Zebu porque a fisiologia de crescimento do Zebu é diferenciada, é um animal mais tardio no sentido fisiológico, então quando você joga uma raça com biotipo britânico, como o Senepol, o Hereford ou Angus na Zebu, você tem um animal meio-sangue perfeito para ser abatido com a carcaça exigida pelo frigorífico. Um animal de 20@, 19@ ou 18@ e uma fêmea muito boa. Então por isso que o Senepol vem crescendo muito, porque ele foi feito para cobrir vaca Zebu no pasto, porque ela é de grande porte. É como o Angus, guardando as devidas proporções de seleção, claro, e volume de rebanho. O Senepol tem esse papel: é o touro na vaca Zebu, como o Angus. Só que o Angus, no Brasil tropical, é sêmen, não touro”, justificou.

Tenho bezerras filhas de vacas Nelore com touro Senepol. O que sugere colocar de touro nelas? Brangus? Minha prioridade seria a venda de bezerros. (Fábio Barcelos, Anápolis-GO)

Essa fêmea meio sangue Senepol x Nelore, ou Senepol x Zebu, é 100% tropical. Você pode usar uma raça de metabolismo um pouco mais rápido. O ideal seria inseminá-la com uma raça de grande porte europeia. Ou pode se usar um Angus com DEP de altura positiva – e aí cabe a nós (técnicos) orientarmos direito qual o touro Angus ideal para cada pecuarista. Tem que ser um Angus de grande porte, com DEP ao ano de muita altura se ela for ser inseminada. Senão, a gente indica primeiramente inseminar com Simental. Se for terminal, com Charolês. Fazer animais de grande porte, maior porte.

Shorthorn é uma raça boa para melhoramento genético? (Ari Oliveira, médico veterinário de Criciúma-SC)

O Shorthorn é a base de cruzamento de muitas raças de corte. No passado, ele era usado para se fazer os compostos, como, por exemplo, o Santa Gertrudis, que é ⅝ Shorthorn, ⅜ Brahman. Dali nasceram todos os modelos de bimestiços ⅝ e ⅜ no King Ranch entre 1920, 1930. Para se ter ideia, o Santa Gertrudis não pode mais ser formado entre duas raças. Ele tem que ser formado por absorção. O livro genealógico se fechou em 1940 e dali o professor Bonsma, que era da África do Sul, esteve visitando o King Ranch e aí levou o modelo para a África do Sul para fazer o Bonsmara, que é cruzamento do Shorthorn com Africaner e Hereford com Africaner. Então o Shorthorn é uma raça de grande porte, é o único inglês de grande porte, do qual no passado, há 500 anos, se tirava leite. Era uma raça de dupla aptidão. É uma raça que é de grande porte, vai muito bem no cruzamento, sim.

Qual o melhor cruzamento industrial para fêmeas Angus para finalização de genética para confinamento? (Fernando Marinho, de Carandaí-MG)

Se você tiver uma recria caprichada, pode usar um bimestiço ou então usar um Bonsmara. O Bonsmara nessa F1 faz um animal de metabolismo mediano, como Braford, como o Brangus, como o Canchim ou Santa Gertrudis. Com essas raças usadas sobre a F1, você faz um tricross que precisa ser caprichado pós-desmama, mas vai ser um animal que responde muito bem no confinamento.

Quais as opções de raça que posso usar para inseminar a F1 Nelore x Angus? […] Uso o Brangus com inúmeras vantagens, mas com uma desvantagem, porque produz filhos F2 mais peludos e que são muito sensíveis ao calor da minha região. (Aniceto Sebastião Ferreira, Araguainha-MT)

O Brangus nacional vem buscando menos pelo. Isso é natural. O americano tem um pouco mais de pelo, como o argentino tem também. O Canchim é o que menos pelo vai dar, o Santa Gertrudis também. O Brangus e o Braford ainda estão sendo selecionados para um animal que tem menos pelo, mas a gente já tem touros. Por exemplo, na Genex a gente tem alguns touros que a gente sabe que dá menos pelo na F1, mas a gente tem que ter em mente que em todo cruzamento de bimestiço na F1, a tendência não é ser pelo zero, como a F1. A gente tem que lembrar que a F1 de europeu com Zebu nasce com pelo e nos verões vai perdendo pelo. Então ela vai ficar com pelo zero depois de adulta. Já o bimestiço na F1 mantém um pelinho. Com comida, ele perde o pelo. […] Esse Brangus na F1 dá pelo. Se ele precisar, eu estou à disposição para gente discutir touros, se ele for inseminar, que sejam mais específicos para ter menos pelo.

Tenho novilhas Nelore, todas PO, prontas para montar na próxima estação. Qual touro é melhor para fornecer carne de qualidade? Tenho as seguintes opções: Blonde D’Aquitaine, Canchim ou Nelore. (Sane Marcel, Conceição dos Ouros, sul de Minas Gerais)

Como touro, o Blonde é um europeu. Todo europeu sente mais do que um bimestiço ou um zebuíno. Ele não é do trópico, apesar de que é o sul de Minas e, dependendo, se for um lugar alto, etc, (vai ser mais frio) […] Todo animal que seja mais que meio-sangue europeu, ele não vai comer verde, ou seja, não vai pastar se a temperatura estiver acima de 24º C. Ele só vai comer à noite porque cai a temperatura. Então a gente tem que saber se no verão, à noite, cai a temperatura. Ele poderia cobrir com um europeu, mas o europeu sofre por causa do calor do dia. Então o Canchim, para ele fazer cruzamento, é a melhor opção, até mesmo para ele ficar com menos preocupação se o touro vai ter degeneração testicular, se vai trabalhar bem. Porque trabalha um ano bem, pois é jovem, no segundo ano já não trabalha tão bem e, no terceiro ano, vai ficar dentro da lagoa. Às vezes à noite ele vai cobrir, mas é complicado por causa de casco, amolece por causa da água.

Gostaria de saber sobre estação invertida em novilhas. Qual a melhor raça pra entourar novilhas Nelore? Davi Lubczyk, de Jaciaba-PR)

No Brasil tropical, em geral, a gente tem estação de monta no verão. E você pode fazer uma estação de monta para aquelas novilhas que não chegaram na idade e na precocidade, não são jovens ainda em setembro, outubro, novembro, na época de verão, e você deixa passar para elas ganharem peso. Aí você enxerta essas novilhas a partir de março, abril ou maio, quando elas chegam às 10@. Isso é estação invertida, porque há nascimento em outra época.

O importante é o seguinte: lembre que se você tem pasto e você quer realmente fazer cruzamento nessas novilhas, a gente recomenda que você use primeiro um britânico, raças britânicas: Angus ou Hereford nessa Zebu, até por causa de parto também. Mas o ideal seria você usar um Nelore provado sobre essas novilhas nessa primeira cria.

Tenho novilhas meio-sangue Caracu com Nelore e touro Senepol. Com o cruzamento dessas novilhas meio-sangue com touro Senepol, a reposição de machos e fêmeas será de boa qualidade? (Fernando, de Itiquira-MT)

Caracu x Nelore é de grande porte. Você joga um Senepol, que é de menor porte, e você tem uma complementaridade espetacular nesse tricross.

Qual o melhor touro para acasalar com as filhas do Pardo-Suíço com Nelore? (Chico Rogeri, de Nobres-MT)

Senepol, porque tira o pelo e é de menor porte. O Pardo-Suíço é exatamente uma raça continental, então Pardo-Suíço x Nelore é de grande porte. Quando você joga o Senepol, você faz um tricross excepcional.

Impressões sobre o Sindi. (pergunta via Whatsapp)

O Sindi é um zebuíno de menor porte, então cabe em muitos acasalamentos. Em uma vaca de grande porte, uma meio-sangue Simental, uma Simental, uma meio-sangue Canchim, por exemplo, você pode jogar o Sindi que você vai fazer um animal excelente no tricross.

Opinião sobre cruzamento Brahman x Angus. (pergunta via Whatsapp)

A gente tem que lembrar que toda novilhinha que não tem cupim, como a meio-sangue, a gente tem que tomar cuidado se for usar Zebu sobre ela por problema de parto, distocia. Se vocês forem usar Brahman, Guzerá, Nelore, qualquer um deles sobre um novilhinha que não tem cupim, principalmente aquela que vai parir com até 400 kg ou um pouco mais, utilize touro de parto fácil, seja um Brahman, Nelore, Guzerá, Tabapuã de parto fácil por conta de distocia. Com novilhinha que não tem cupim, cuidado!

Veja a sessão completa de perguntas e respostas no vídeo a seguir: