Pergunta:

Sou produtor de leite em Ji Parana (RO), onde meu plantel básico é formado por matrizes Girolando. Anos atrás, buscando produzir machos com boa carcaça e fêmeas com boa habilidade leiteira, usei o Caracu de corte. Estou com minhas novilhas F1 Caracu-Girolandas na idade de reprodução. Qual raça poderia usar sobre as cruzadas Caracu- Girolando para fazer um bom macho e continuar produzindo leite a pasto aqui em Rondônia? Emilio Barri Vieira – Ji Paraná (RO).

Resposta:

Sabemos que o Caracu, quando usado nas matrizes leiteiras, produz animais adaptados ao clima tropical úmido como o de Rondônia, podendo produzir leite a pasto e machos pesados. Sua escolha foi assertiva nesse 1º cruzamento.

Novilha cruzada Caracu – Gir. Foto: Dr. Valdecir – Sinop (MT)

Cruzada Caracu – Girolando. Adaptabilidade e boa produção de leite

Para a próxima etapa, procure dividir seu rebanho leiteiro em 2 lotes. O 1º lote deve ser formado pelas suas melhores matrizes leiteiras, onde deve continuar a usar sêmen de touros provados Holandês e Girolando.

Separe suas vacas filhas de Caracu-Girolando e use uma raça de corte, podendo ser uma raça terminal como Angus, Hereford ou Charolês, caso venha a recriar com suplementação esses produtos não tão adaptados ao calor da sua região.

Caso seu sistema de recria e engorda seja extensivo, dê preferência ao uso de sêmen de Brangus, Braford, Canchim e Bonsmara sobre essas matrizes filhas de Caracu-Girolando. Dessa forma, produzirá animais com pelo curto, adaptados a sistemas de recria extensivos, além de apresentarem alto potencial de ganho em peso. Usando essas raças acima sobre suas matrizes F1 Caracu-Girolando você terá condições de usar as filhas como matrizes, pois terão o pelo muito curto.

Biotipo do produto Brangus x vacas adaptadas como as Caracu-Girolando. Pelo muito curto e boa fertilidade

Biotipo do boi filho de Canchim sobre suas vacas Caracu-Girolando

Biotipo do produto Braford sobre suas matrizes Caracu-Girolando